Portal Oficial do Governo da República de Angola

Vice-Presidente


Bornito de Sousa Baltazar Diogo

Vice-Presidente da República de Angola, eleito nas eleições gerais de 23 de Agosto de 2017, Bornito de Sousa Baltazar Diogo nasceu a 23 de Julho de 1953, no Quéssua, Província de Malanje.

Informação Pessoal

É o quarto de seis filhos da dona Catarina Manuel Simão Bento “Katika”, doméstica, e do Reverendo Job Baltazar Diogo, ex-Preso Político, Professor primário, linguista na especialidade de Quimbundo-Português e tradutor da Bíblia Sagrada, do Português para o Quimbundo.
Casado com Maria José Rodrigues Ferreira Diogo, tem quatro (4) filhas.
Fez o ensino primário na escola “Amor e Alegria”, na Missão Metodista do Quéssua, e na Escola da Igreja Metodista Unida Central, em Malanje e Luanda, respectivamente.
A actividade do seu pai, quer como pregador evangélico quer como activista político e professor, levaram-no a estar em constante mudança. Tinha apenas seis (6) anos quando se mudou para Quipedro, município de Ambuíla, província do Uíge, para onde seu pai havia sido transferido como Pastor da Igreja Metodista Unida.
Em 1965, transfere-se para Luanda, de comboio, onde o seu pai e seu tio, o Dr. Luís Micolo, estavam com residência fixa após cumprirem pena de prisão na cadeia da PIDE, Polícia Política colonial.
Já na capital, ingressa no Liceu Salvador Correia para o ensino secundário, que conclui no Liceu de Moçâmedes.

Curriculum Académico

Possui duas licenciaturas: uma em Ciências Sociais, pela Escola Superior do Partido, e outra em Direito, pela Universidade Agostinho Neto.
É Advogado e Docente da cadeira de Ciência Política e Direito Constitucional das Faculdades de Direito da Universidade Agostinho Neto e da Universidade Católica de Angola e co-autor, com o Prof. Dr. Adérito Correia, da colectânea “Angola - História constitucional”

Curriculum Político e Associativo

Cedo adere à luta pela libertação nacional, como militante clandestino do então Movimento Popular de Libertação de Angola (MPLA), no Bairro Marçal, ligado aos círculos clandestinos estudantis conectados com o Comandante STONA, na região do Cuanza-Norte.
Na época, alguns factos históricos acabariam por ser determinantes para a formação da sua consciência nacionalista: as convulsões sociais de feições independentistas no Congo e a prisão do seu pai e do seu tio materno, o Dr. Luís Micolo, jurista, professor, músico e distinta personalidade da Igreja Católica de Angola.
Em Dezembro de 1970, com Baltazar Diogo, seu irmão mais velho, foi notificado para que se fizesse presente numa esquadra policial colonial, logo a seguir à quadra festiva. Seu pai, o Reverendo Job Baltazar Diogo ainda tentou protestar junto das autoridades coloniais, sugerindo um “possível equívoco”, uma vez que os seus filhos eram menores. Terá sido a última ceia na companhia dos pais e dos irmãos, até à independência nacional, a 11 de Novembro de 1975.
Preso a 2 de Janeiro de 1971 pela PIDE-DGS, na então Cadeia de São Paulo, é transferido de barco para a Cadeia de S. Nicolau/Bentiaba, província do Namibe, de onde apenas seria libertado em Maio de 1974 na sequência da Revolução de 25 de Abril, que ditou a queda do regime de Salazar em Portugal.

Curriculum Profissional

Fez treinamento político-militar no CIR Kalunga, Dolisie/ Loubomo, República do Congo, e no CIR Binheco, Floresta do Maiombe, Província de Cabinda, 2ª Região Político-militar, sendo depois transferido para a província de Cabinda como Comissário Político da Companhia de Administração e Serviços (CAS), do Estado-Maior da 2ª Região.
Foi Comissário Político da Marinha de Guerra de Angola desde 1976 quando, a 10 de Julho, foi fundado esse Ramo das então Forças Armadas Populares de Libertação de Angola (FAPLA), e em 1981 passa a Chefe Adjunto da Direcção Política Nacional das FAPLA.
É Titular do Curso Superior de Oficiais da Escola Superior Militar do Huambo e General das Forças Armadas Angolanas (FAA), na Reforma.
Foi Deputado da Assembleia do Povo e depois Deputado da Assembleia Nacional, onde presidiu o Grupo Parlamentar do MPLA de 2000 a 2010, Deputado da Assembleia Constituinte de 2010 e Presidente da Comissão Constitucional.
Presidiu às Comissões dos Assuntos Jurídicos, Regimento e Mandatos e de Relações Exteriores e foi Vice-Presidente da Assembleia Parlamentar Partidária África, Caraíbas e Pacífico/União Europeia (ACP/EU).
Tem como hobbies a Aviação (tem a licença de Piloto Privado de Aviões), as questões de desenvolvimento e gestão integrada de Municípios e Cidades, a Informática e novas tecnologias, a pilotagem naval de recreio, a literatura e o desporto. Fala Português e Inglês de forma proficiente, além de Francês e Espanhol. A sua língua africana materna é o Quimbundo.
Desempenhou as funções de Ministro da Administração do Território, de Fevereiro de 2010 a Setembro de 2012, tendo sido reconduzido em Outubro de 2012.
A 23 de Agosto de 2017 é eleito Vice-Presidente da República, na candidatura do MPLA liderada por João Manuel Gonçalves Lourenço, Presidente da República de Angola, tendo tomado posse a 26 de Setembro do mesmo ano.